Malha de Ver√£o movimenta Jacutinga

Produção do município em mais de mil fábricas saltou de 220 mil peças, em 2009, para 300 mil por mês, neste ano.

JACUTINGA – A tradi√ß√£o das cidades do chamado Circuito das Malhas, no Sul de Minas, sempre foi a roupa de Inverno, as blusas de l√£, gorros, luvas, pul√īveres e su√©teres. Mas, h√° alguns anos, a produ√ß√£o de malha retil√≠nea vem ganhando popularidade, e a aceita√ß√£o do mercado fez com que as cidades da regi√£o envolvidas com este tipo de confec√ß√£o passassem a produzir a chamada cole√ß√£o de Ver√£o. No ano passado, a produ√ß√£o girou em torno de 220 mil pe√ßas por m√™s, contra as 300 mil pe√ßas mensais em 2010. A produ√ß√£o de malha retil√≠nea das confec√ß√Ķes de Jacutinga j√° atinge mais de mil f√°bricas, al√©m de 500 lojas de varejo, levando o pequeno munic√≠pio de 15 mil habitantes a responder por mais de 30% de toda a produ√ß√£o nacional de malharia retil√≠nea.

De acordo com o presidente da Associa√ß√£o Comercial de Jacutinga, Dennys Bandeira, anos atr√°s, passada a euforia da produ√ß√£o e venda de Inverno, a cidade mostrava uma certa estagna√ß√£o, as confec√ß√Ķes praticamente paravam e muitas pessoas ficavam desempregadas no munic√≠pio. ‚ÄúHavia aquele conceito de produ√ß√£o de roupa de frio e, logo, as confec√ß√Ķes iniciavam a produ√ß√£o para o pr√≥ximo Inverno, com um per√≠odo de paradeiro entre uma cole√ß√£o e outra. Agora, estamos mantendo o mesmo ritmo o ano todo‚ÄĚ, comemora, ao assegurar que 50% do parque fabril na cidade est√° em plena atividade em outubro e cerca de 300 mil pe√ßas est√£o sendo produzidas neste m√™s.
As confec√ß√Ķes est√£o produzindo blusas leves, vestidos, shorts, saias, produtos que mesclam o tric√ī com tecidos leves de pano e recebem muitas aplica√ß√Ķes diferentes, promovendo um estilo mais alegre que combine com a Primavera e o Ver√£o.
A estilista Cec√≠lia Prado lembra que, neste ano, os tons lavados em azul, coral, amarelo e rosa est√£o em alta, assim como os tons past√©is e florescentes. ‚ÄúAs estampas florais fazem a festa em pe√ßas de um ombro s√≥, que √© febre neste Ver√£o. Tudo muito rom√Ęntico, com a predomin√Ęncia de tecidos como o viscolycra, tricoline, flame, devoree e ribana, al√©m de muita renda, outra sensa√ß√£o deste Ver√£o‚ÄĚ, garante. Ela ressalta ainda que, nos desfiles apresentados durante a Fashion Rio e S√£o Paulo Fashion Week, a textura que mais ganhou destaque foi a vazada, com recortes no pr√≥prio tecido, com muito tric√ī, renda e tramas mais abertas. ‚ÄúO algod√£o, o linho, croch√™ e tric√ī resgataram aquele clima de natureza nas cole√ß√Ķes‚ÄĚ, comenta.
M√°quinas a todo vapor, e as vitrines das lojas de Jacutinga come√ßam a se encher de novidades. De acordo com Bandeira, a expectativa de neg√≥cios durante a temporada do pr√≥ximo Ver√£o √© de 30% a mais que no ano passado. ‚ÄúNeste ano, houve um aumento substancial na quantidade de f√°bricas produzindo pe√ßas de Ver√£o, e a produ√ß√£o saltou de 220 mil para 300 mil pe√ßas mensais‚ÄĚ, garante.
O aumento de produ√ß√£o garantiu o emprego de Maria Bernadete Melo, 34 anos, que havia sido contratada para a produ√ß√£o de Inverno. Sua expectativa, agora, √© de emendar a cole√ß√£o de Ver√£o com a do pr√≥ximo Inverno e manter o emprego. ‚ÄúAcho que gostaram do meu trabalho‚ÄĚ, comemora.

Fonte: Mg1